Polícia dispersa camelôs com bombas de efeito moral

fuga protesto camelôs (Foto: Werther Santana/Agência Estado)
A Polícia Militar voltou a usar bombas de efeito moral por volta das 9h40 desta quarta-feira (26) para conter os camelôs que protestavam na região da Feira da Madrugada, no Brás, no Centro de São Paulo, desde a madrugada. Este é o segundo dia de manifestação da categoria. No horário, bombas de gás lacrimogêneo obrigaram alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) Carlos de Campos, na Rua Oriente, que começavam a ser dispensados por causa dos protestos, a voltar para a escola para se protegerem. Segundo a diretora acadêmica da Etec, Eliane Leite, assim como na terça-feira (25), a instituição decidiu liberar os alunos por questões de segurança.



Após a confusão, os ambulantes se dispersaram. Desde a madrugada, os camelôs que trabalham na região protestam contra a proibição de montarem suas barracas nas ruas do bairro.
Segundo o major da PM Wanderley Barbosa Filho, que comanda a operação no Brás, duas pessoas foram detidas nesta manhã por depredação. Às 10h30, ele informou que a ordem no bairro havia sido restabelecida e que o trânsito estava liberado em toda a região. Policiais realizam bloqueios para garantir que os ambulantes não voltarão a ocupar as ruas. “Acabou o diálogo com os manfiestantes. Eles não souberam cumprir as orientações”, disse Barbosa Filho.
De acordo com o major, a polícia precisou usar bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo porque os manifestantes bloquearam totalmente ruas do Brás, não acatacando a ordem de liberá-las.
Leia mais em:
Link:

Atualizar


Imprimir


Ao comentar, o usuário está ciente sobre a Política de Privacidade