Justiça determina que manifestantes deixem o lixão da Estrutural

 (Adauto Cruz/CB/D.A Press 
)
Carlos Divino Rodrigues, juiz da Vara de Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano e Fundiário do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), ordenou nesta quinta-feira (18/10) o esvaziamento imediato das áreas ocupadas desde terça-feira (9/10), por catadores no Aterro Sanitário do Jóquei, próximo à Cidade Estrutural.

O magistrado avaliou, de acordo com a Procuradoria Geral do Distrito Federal (PG-DF), que os manifestantes comprometem serviço público essencial de coleta e tratamento de resíduos sólidos produzidos na cidade, situação que agrava ou coloca em perigo as condições de saúde pública.

Os catadores, de acordo com a ação judicial de Reintegração de Posse, também obstruíram os acessos aos Núcleos Regionais de Limpeza Norte e de Sobradinho, usados pelo SLU como alternativas de despejo de lixo. A PG-DF informa que, diariamente, são destinadas cerca de 2,7 mil toneladas de lixo e sete mil toneladas de resíduos da construção civil ao aterro. A Central de Cooperativas de Catadores de Materiais Recicláveis do DF, que representa os manifestantes, fica sujeita à multa de R$ 100 mil.

Correio Braziliense
Leia mais em:
Link:

Atualizar


Imprimir


Ao comentar, o usuário está ciente sobre a Política de Privacidade