Morre a atriz Regina Dourado, após longa batalha contra o câncer

 (Anderson Schneider/CB/D.A Press)

Morreu no fim da manhã deste sábado (27/10) a atriz Regina Dourado, de 59 anos. Regina lutava contra um câncer há oito anos e foi internada no Hospital Português, em Salvador, no último sábado (20). O corpo da atriz será cremado no Cemitério Jardim da Saudade, na capital baiana, neste domingo.

Em 2003, Regina havia se submetido a uma intervenção cirúrgica para retirada de um nódulo na mama direita. Sete anos depois, não conseguiu combater um novo tumor, desta vez, do lado esquerdo.

A atriz soteropolitana nasceu em 22 de agosto de 1953 e começou sua trajetória no teatro aos 15 anos, na Companhia Baiana de Comédia. Colecionadora de grandes personagens, Regina protagonizou cenas da teledramaturgia brasileira sendo Lucineide, esposa do Salgadinho (Rogério Cardoso), na novela Explode Coração; Lala Sereno, em Pão Pão, Beijo Beijo, de Walter Negrão; a personagem Índia, de O Rei do Gado, além de multiplicar sua vida em muitas, somando mais de 20 novelas e minisséries no currículo.

Autêntica baiana, interpretou personagens de autores como Janete Clair, Dias Gomes e Aguinaldo Silva, participando de novelas com o destaque de Roque Santeiro, Renascer e Tropicaliente. Arrebatada pelo universo artístico desde os 15 anos, quando já desenhava seu destino como atriz, na Companhia Baiana de Comédias, transitou ainda pelo tablado e pelo cinema, onde integrou o elenco de Baiano Fantasma e Tigipió – Uma Questão de Amor e Honra, na década de 1980, além dos filmes Corpo em Delito, Corisco & Dada e No Coração dos Deuses, na década seguinte.

Depois de vencer o primeiro câncer, apareceu nos cinemas com o trabalho Espelho D`água – Uma Viagem no Rio São Francisco (2004), em que saiu com o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante. Nas telinhas, atuou pela última vez na novela Caminhos do Coração (2007), da Record. Ainda com sequelas devido ao tratamento do câncer, Regina participou da encenação da Paixão de Cristo, em Salvador, convidada pelo diretor e irmão Paulo Dourado, e viveu o papel da Virgem Maria, nas edições de 2011 e 2012.

Correio Braziliense


Leia mais em:
Link:

Atualizar


Imprimir


Ao comentar, o usuário está ciente sobre a Política de Privacidade