Sandy deixa o caos na costa leste americana e paralisa Nova York

Vista geral de grande parte de Manhattan sem energia elétrica  (Eduardo Munoz )
Vista geral de grande parte de Manhattan sem energia elétrica

A supertempestade Sandy perdeu força nesta terça-feira (30/10), mas continua deixando um rastro de destruição pela costa leste dos Estados Unidos, com um saldo provisório de 13 mortos, um apagão em Manhattan, além de incêndios e inundações que paralisaram grande parte do estado de Nova York, onde o presidente Barack Obama declarou estado de emergência.

Sandy chegou a Atlantic City (Nova Jersey, nordeste), com ventos violentos de 130 km/h e deslocando-se a 37 km/h, segundo boletim especial emitido pelo Centro Nacional de Furacões (CNH), mas perdia força nas primeiras horas da manhã de hoje e se deslocava para o sul do estado da Pensilvânia com ventos de 105 km/h e rajadas ainda mais fortes.

Em Nova Jersey, as águas romperam um dique e ameaçavam três localidade do condado de Bergen, a poucos quilômetros de Nova York. A central nuclear de Oyster Creek, no condado de Ocean, ao norte de Atlantic City, declarou alerta depois que a água superou o nível permitido na passagem da tempestade, mas segundo as autoridades não representa perigo.

Cidade de Nova York inundada após fortes ventos e chuvas torrenciais (Brendan McDermid )
Cidade de Nova York inundada após fortes ventos e chuvas torrenciais

Às 5h locais (7h de Brasília), o centro da tempestade se encontrava na Filadélfia (Pensilvânia) e se deslocava para o oeste, com ventos reduzidos para 105 km/hora, indicou o Centro Nacional de Furacões (CNH), com sede em Miami. O CNH destacou que estão mantidos os alertas de inundações e chuvas para a metade da costa atlântica e que Sandy provocará fortes tempestades de neve em seu deslocamento para o interior do continente. A supertempestade atingiu em cheio a zona densamente povoada do leste americano, inundou boa parte das áreas baixas de Manhattan, paralisou o transporte público e deixou sem eletricidade milhões de americanos.

Ao menos 12 pessoas morreram nos Estados Unidos e uma no Canadá devido ao fenômeno que tocou em terra na segunda-feira com ventos de até 150 km/hora. Estas vítimas se somam aos 67 mortos que Sandy deixou em sua passsagem pelo Caribe. No estado de Nova York, Sandy matou cinco pessoas, incluindo um homem de 30 anos atingido pela queda de uma árvore no Queens, revelou um porta-voz do governador Andrew Cuomo.

Em Nova Jersey, as duas vítimas fatais também foram atingidas por uma árvore, que caiu sobre um carro no condado de Morris, segundo os serviços de emergência. Duas pessoas morreram na Pensilvânia, uma atingida por árvore e outra no desabamento de uma casa, informaram as autoridades locais. No Atlântico, na costa da Carolina do Norte, um tripulante de um veleiro réplica do HMS Bounty morreu no hospital após ser resgatado no mar e levado a um hospital. O capitão do barco permanece desaparecido.

Imagem do satélite da Nasa, mostra deslocamento do furacão (Nasa/Divulgação)

Em Maryland, uma mulher bateu com o carro em uma árvore e faleceu; e na Virgínia Ocidental, outra mulher, de 48 anos, colidiu com um caminhão em meio a uma tempestade provocada por Sandy, informou a polícia. Na cidade canadense de Toronto, mais ao norte, uma mulher faleceu ao ser atingida por um objeto que se desprendeu com o forte vento.

ELEIÇÕES: 

O desastre natural interrompeu a campanha eleitoral poucos dias antes da votação de 6 de novembro. Tanto Obama como seu adversário republicano, Mitt Romney, cancelaram atos eleiorais, conscientes da importância de dedicar toda a atenção às consequência do furacão e para evitar um desgaste de imagem, como a que sofreu George W. Bush em 2005 devido à fraca resposta das autoridades à trage'dia do furacão Katrina em Nova Orleans.

NY em estado de emergência:

Obama decretou o estado de emergência em todo o estado de Nova York, o que permitirá acesso a fundos federais para os afetados em vários condados, informou a Casa Branca. O estado de catástrofe também foi declarado em Nova Jersey. As autoridades já haviam declarado estado de emergência em Connecticut, Delaware, Maryland, Massachusetts, Nova Jersey, Nova York, Carolina do Norte, Pensilvânia, Vermont, Virgínia e na capital americana.

No estado de Nova York, 1,5 milhão de pessoas ficaram sem luz e ao menos cinco pessoas morreram. Na cidade de Nova York, 500.000 lares estão sem eletricidade, 250.000 deles em Manhattan. Sete túneis do metrô ficaram inundados por causa da elevação das águas provocada pelo cilcone. As águas subiram 4,15 metros acima de seu nível habitual, coincidiendo com as marés altas da lua cheia.

Um incêndio destruiu 50 casas numa localidade afastada do centro do bairro do Queens, de acordo com o corpo de bombeiros. Cerca de 375.000 pessoas receberam a ordem de evacuação nas zonas costeiras da cidade no sul de Manhattan, Brooklyn, Queens e Staten Island. Washington e Filadélfia também se encontram sem transporte público. Quase 15.000 voos foram canceldos até o momento na região.

A empresa de estimativas de desastres Eqecat assinalou que a tempestade poderá afetar 60 milhões de americanos e provocar danos de até 20 bilhões de dólares. Segundo os serviços meteorológicos, a extensão da tempestade e a confluência de uma frente fria procedente do Canadá foram os motivos pelos quais Sandy se tornou tão perigoso.

Correio Braziliense

Leia mais em:
Link:

Atualizar


Imprimir


Ao comentar, o usuário está ciente sobre a Política de Privacidade