Governo gasta R$ 262 milhões com aplicação do Enem 2012

A edição 2012 do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) custou mais R$ 262 milhões aos cofres públicos. Para aplicar as provas, que serão realizadas neste fim de semana, dias 3 e 4 de novembro, o Governo Federal desembolsou R$ 46 por aluno, descontado o valor da taxa de inscrição.

Com esse dinheiro, o governo paga as despesas como impressão das provas, a distribuição dos cadernos, além dos profissionais que trabalham desde a elaboração das questões, até os aplicadores e corretores dos exames.

O governo garante que o custo por estudante diminuiu, mas as despesas totais aumentaram. A prova deste ano está R$ 30 milhões mais cara que a de 2011. No ano passado, o governo gastou R$ 238 milhões com o Enem. Isso porque a segurança desta vez foi reforçada, com mais mecanismos para evitar fraude, além de novos sistemas de correção das provas.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, considera o valor pequeno perto do tamanho do Enem. Segundo ele, em um País de dimensões continentais como o Brasil, o custo para reparar uma falha seria muito maior.

— O custo é muito pequeno para oportunidade que estamos dando para os brasileiros chegarem à universidade.

As declarações foram dadas nesta sexta-feira (2), durante coletiva de imprensa convocada para dar as últimas informações sobre a aplicação das provas. O ministro garantiu que todos os candidatos vão fazer as provas com tranquilidade e que nenhum problema com segurança foi registrado até o momento.

As provas já começaram a ser distribuídas para os 15.076 locais onde o Enem será aplicado. O ministro Mercadante informou que as rotas estão sendo monitoradas e não houve nenhuma falha.

São 2.200 veículos, mais de 7.000 funcionários dos Correios e 19 mil agentes de polícia envolvidos no transporte dos cadernos de provas. Mercadante, que coordena o primeiro Enem desde que assumiu o Ministério da Educação, admitiu a ansiedade.

— Eu fiz meu vestibular há 40 anos, mas sinto como se estivesse fazendo de novo, a mesma expectativa para que tudo dê certo.

Os funcionários do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), órgão responsável pela aplicação do Enem, estão de plantão neste feriado para acertar os últimos detalhes da aplicação das provas. O presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa, também garantiu que as provas serão realizadas sem contratempos.

— Estamos trabalhando intensamente no Inep para garantir que os estudantes possam fazer a prova amanhã e depois com tranquilidade.

Funcionários das empresas de distribuição de energia elétrica e do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) nos Estados também estão de prontidão para solucionar eventuais problemas de fornecimento de energia e obras em regiões próximas aos locais de provas que prejudiquem o acesso.

R7
Leia mais em:
Link:

Atualizar


Imprimir


Ao comentar, o usuário está ciente sobre a Política de Privacidade