Casas noturnas de sócio de boate que pegou fogo são alvo de buscas

Muitas pessoas se concentraram em frente à boate após o incêndio (Foto: Henrique Abreu/Arquivo pessoal)
Duas casas noturnas de Mauro Hoffmann, um dos sócios da boate que pegou fogo durante uma festa universitária em Santa Maria (RS), foram alvo de buscas pela polícia no começo da noite de segunda-feira (28). Os locais são a cervejaria Floriano e a danceteria Absinto, que funcionam na cidade. No entanto, nada que pudesse auxiliar as investigações foi encontrado nos locais.

Mauro Hoffmann teve a prisão temporária decretada pela Justiça por 5 dias e foi encaminhado ao Presídio de Santo Antão, a cerca de 7 km do centro de Santa Maria. Além dele, Elissandro Spohr, conhecido como Kiko, foi detido em um hospital de Cruz Alta e está sob custódia da polícia. Ele está internado para tratar uma intoxicação causada pela fumaça do incêndio.

Foram presos ainda dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, que se apresentava na boate na hora do incêndio, entre eles o vocalista Marcelo Santos.

Um segurança que trabalhou por mais de um ano na boate Kiss afirmou que, durante o período, jamais recebeu treinamento para prevenir incêndios. Ele disse ainda que questionou os chefes sobre o que chama de deficiências de segurança da boate.

O advogado de Spohr, Jader Marques, disse que as denúncias do ex-empregado serão analisadas e que só depois poderá se pronunciar.

O Comando do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul informou que os equipamentos de segurança da boate estavam em ordem, mas ainda deverá apresentar provas de que de fato a vistoria para a renovação do alvará de segurança havia sido feita.

A polícia também quer saber onde foi parar o computador que armazenava as imagens das câmeras de segurança da boate. O equipamento ainda não foi encontrado.

Globo
Leia mais em: ,
Link:

Atualizar


Imprimir


Ao comentar, o usuário está ciente sobre a Política de Privacidade