Chuva destrói casas e desabriga moradores do Sol Nascente, em Ceilândia

Família tenta salvar alguns dos pertences depois da casa ser invadida pela água (Ronaldo Oliveira/CB/D.A Press)
Família tenta salvar alguns dos pertences depois da casa ser invadida pela água
A forte chuva que atingiu o Distrito Federal na tarde desta terça-feira (19/3) causou estragos no Condomínio Sol Nascente, em Ceilândia. Quatro casas foram interditadas pela Defesa Civil e duas delas desabaram em decorrência da enxurrada. Ao todo, 19 pessoas estão desalojadas, entre adultos e crianças, de quatro famílias. O coronel Sérgio Bezerra, da Defesa Civil, informa que ainda estão definindo os procedimentos a serem tomados: "Foram só perdas materiais, mas poderia ter ocorrido uma tragédia grande. A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa) foi convocada para opinar. Como são todos invasores, não queremos cometer nenhuma injustiça ao decidir qual é a melhor saída".

Nesta quarta-feira (20/3), a Defesa Civil está no local para verificar as estruturas e evitar que nenhuma família volte às casas. O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) auxilia na remoção do lixo, escombros e entulho.

A chuva teve três horas de duração, das 14h às 17h de terça-feira (19/3). As casas destruídas, localizadas na Quadra 74 do trecho 3 do Sol Nascente, foram atingidas por um contêiner de lixo que foi arrastado pela correnteza. As outras duas residências interditadas apresentam rachaduras.

O morador Salvador Trindade de Sousa, de 33 anos, lamenta a perda. "Moro nessa casa há um mês e meio. Paguei R$ 55 mil e estou muito arrependido, pois vou ter que trabalhar muito para reconstruir tudo que perdi".

A esposa de Salvador, Maria Valdeni Vasconcelos, 31 anos, informou que a lama chegou a 80 centímetros de altura e disse que perdeu tudo, geladeira, sofá, máquina de lavar. "A lama começou a invadir minha sala e a água a subir rápido de mais. Minha reação foi pegar minha filha e sair de casa".

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) também está no local e estuda que tipo de auxílio as famílias atingidas pela chuva vão receber.

Outra quadra, a 107, também foi afetada por uma inundação causada por um vizinho que reduziu a saída de água ao fechar uma manilha subterrânea com concreto. Sete outras famílias foram afetadas, mas ninguém ficou ferido, sofreram apenas perda material. A informaçao é da Defesa Civil.

Correio Braziliense
Leia mais em:
Link:

Atualizar


Imprimir


Ao comentar, o usuário está ciente sobre a Política de Privacidade